Preacher

Cultura, HQs
Em 3 de novembro de 2015
Durante o cafezinho do(a)

Hellblazer [Constantine] e Preacher, são dois marcos no mundo dos quadrinhos adultos, personagens de um mundo um pouco mais real que foge do simples maniqueísmo do mundo da Marvel ou mesmo da DC. Preacher que foi escrita por Garth Ennis segue a saga de um Pastor que tenta lutar contra o fim do mundo.

tumblr_mo3tohH8sR1qg8i80o2_1280

Depois de algumas tentativas, sem sucesso da HBO e da Miramax de trazer o mundo de Preacher para o “live action”, a premiada AMC [Madmen e The Walking dead] estão responsáveis por fazer de Preacher um seriado de sucesso.

Para o papel de Jesse Custer, temos Dominic Cooper, que ficou conhecido por viver o Pai de Tony Stark no filme do Capitão América e no seriado da Agent Carter. Pelo trailer que foi exibido no intervalo de TWD, o seriado promete uma boa ambientação e a dose certa de violência que o mundo de Preacher demanda.

Algumas dúvidas ficam no ar, a primeira é quanto Preacher será igual aos quadrinhos, nos Estados Unidos a sátira religiosa, nunca é bem vinda, isso sempre foi um dos entraves da a adaptação deste mundo. O a outra dúvida é se Preacher terá o mesmo destino de Constantine.

Vamos torcer

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

Rolando o épico em HQ

Cultura, HQs
Em 18 de março de 2015
Durante o cafezinho do(a)

Fábio Moon e Gabriel Bá, não são meus quadrinhistas favoritos, mas devo dar o braço a torcer pela adaptação do épico Rolando, inspirando no poema que narra um dos maiores feitos do Imperador dos Francos, Carlos Magno.

rolando_capa_final

Para quem não conhece Rolando é totalmente baseado no Canto de Rolando, onde um poderoso exército de Carlos Magno, liderado por Rolando, um dos sobrinhos favoritos do imperador, que no meio de uma campanha contra os Mouros ao Oeste da atual Espanha, acaba sendo encurralado.

Apesar do heroísmo de Rolando, seu orgulho causou várias baixas nesta batalha. Carlos Magno o havia avisado sobre o poder dos Mouros e o advertiu que se tivesse algum problema na viagem de volta, que tocasse a “Olifante” [uma espécie de trombeta] assim Carlos Magno que estava com seu exército quilômetros a frente, voltaria e resgataria as tropas de Rolando.

rolando_press06

Mas seu Orgulho o impediu de Tocar a Olifante e Rolando começou seu próprio derramamento de sangue contra os Mouros.

Rolando é um dos personagens mais famosos deste período histórico. Só perde para o grande imperador Franco, Carlos Magno, mas mesmo assim na Alemanha ainda existem diversas estátuas do Herói Rolando.

Os dois artistas fazem um belo trabalho com este poema épico, quem gosta de quadrinhos deve ter essa edição em sua prateleira. O trabalho foi lançado em 2005. Ainda é facilmente encontrado em livrarias e até sebos.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

HQ – Chibata

HQs
Em 19 de março de 2012
Durante o cafezinho do(a)

A Revolta da Chibata foi um movimento de Marinheiros brasileiros, que entre os dias 22 e 27 de novembro de 1910 mobilizou 2400 homens contra os castigos impostos aos marujos e as condições precárias as quais eram submetidos a bordo dos navios da Marinha Brasileira.

O movimento estava marcado para 10 dias após a posse do recém-eleito presidente Hermes da Fonseca, que ocorreria no dia 15 de novembro de 1910, porém o castigo imposto ao marinheiro Marcelino Rodrigues Menezes, que ao invés de ser submetido a 25 chibatadas, que era o “normal”, teve como castigo, por ter levado cachaça a bordo, 250 chibatadas, a pena foi considerada desumana causando uma revolta maior ainda entre os marinheiros, que decidiram iniciar a mobilização na noite do dia 22 de novembro de 2010.

Foi então que os marinheiros do Encouraçado Minas Gerais liderados por João Cândido Felisberto, renderam os oficiais à bordo e deram início a Revolta da Chibata, que contou ainda com outras embarcações como os Encouraçados São Paulo e Bahia.

Encouraçado Minas Gerais

Essa importante parte da história recente do Brasil é contada de forma magistral por Hemeterio (arte) e Olinto Gadelha (roteiro) na HQ, Chibata! João Cândido e a Revolta que Abalou o Brasil, que está em sua segunda edição, lançada pela Editora Conrad.

A HQ conta através de relatos de João Cândido, já idoso e trancado num hospício, os momentos decisivos para a revolta, como a trama foi construída, seus personagens, histórias e reinvidicações.

 

 

Chibata é um exemplo de quadrinho nacional de alta qualidade, o roteiro de Olinto Gadelha é ótimo, misturando elementos reais e imaginários, forma uma trama que prende o leitor. A arte de Hemeterio é simples e direta, o que torna a história ainda melhor.

Nos últimos anos tivemos vários títulos brasileiros de qualidade, pela arte e roteiro, se você gosta de bons desenhos e uma ótima história, não irá se arrepender de adquirir Chibata. Altamente recomendada.

 

 

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

HQ – Daytripper

Cultura, HQs
Em 7 de março de 2012
Durante o cafezinho do(a)

“Ele andou duas quadras até perceber que não estava mais triste. Estava feliz e de repente tudo que conseguia pensar era em coisas alegres.

Tudo em que conseguia pensar era… Nela.

Ela era a criatura mais bonita da face da terra – Seu cabelo disse isso, em uma língua que só os cabelos conseguem falar.

Porque ele não foi falar com ela?” (Daytripper #3 – Gabriel Bá e Fábio Moon)

“Quais são os dias mais importantes da sua vida?” É esse o tom filosófico, sonhador, imaginário e real, que Daytripper oferece em suas páginas. Em mudanças temporais o quadrinho envolve o leitor em uma busca de respostas pessoais.

Daytripper, é uma grande HQ escrita pelos paulistas Fábio Moon e Gabriel Bá, ganhadora do prêmio Eisner, listada pelo The New York Times entre os quadrinhos mais vendidos, lançada pela Vertigo e Panini, colorida, com 256 páginas. Distribuída no Brasil em volume único, conta uma interessante história de 10 capítulos, sobre um escritor de obituários, chamado Brás, que se encontra em questionamentos sobre a sua existência, e devaneios entre a tristeza, a alegria, o amor, quase como uma nostalgia existencial, elevada pela conclusão final da história.

A revista apresenta em cada um de seus capítulos diversas referencias culturais ao Brasil, seja nas ruas de São Paulo, nas praias, em fatos históricos, nas crenças, nas brincadeiras de crianças, além de uma estética rica em detalhes (seja nas expressões faciais, nos detalhes do ambiente, ou na abstração da realidade) que permite a imersão do leitor no ambiente e na história.

Pessoalmente, esta HQ deu início ao meu interesse atual por quadrinhos, já que sempre tive uma visão deles como caros e efêmeros. Com questionamentos filosóficos que eu não acreditava serem possíveis em quadrinhos, e que depois da leitura pareceram muito mais conscientes pelo envolvimento criado na inusitada história, de forma tão natural. E claro, também, pela qualidade excepcional dos desenhos.

Assista também a uma entrevista do Saraiva Conteúdo com os dois irmãos quadrinistas no seu estúdio em São Paulo, http://www.youtube.com/watch?v=BBlxSJezoUU

Recomendo esta HQ a todos, mesmo a quem não tenha o hábito de ler quadrinhos, serão algumas horas de uma leitura incrível.

Onde encontrar? Na loja virtual da Saraiva.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

HQ – Kerouac,

Beat Generation, Cultura, HQs
Em 2 de março de 2012
Durante o cafezinho do(a)

Kerouac ‘virgula’ por si só, é um personagem de muitas interpretações, um autor cuja vida e obra andaram sempre muito próximas, talvez refletindo-se, talvez confundindo-se.

Lançada em 2011 pela Devir (site oficial), a HQ nacional “Kerouac,”, de João Pinheiro é uma revista de 112 páginas em preto e branco, com uma estética que reflete um pouco do movimento beat, e que parece ter como objetivo apresentar um pouco da vida do poeta Jack Kerouac, através da representação biográfica do mesmo como um personagem inserido em um ambiente contextualizado entre as decadas de 20 e 60, centrando-se em alguns momentos da sua vida.

De modo geral é uma HQ interessante por ser nacional e falar de um autor que, para muitos brasileiros, ainda é bastante desconhecido. A história baseia-se em biografias sobre Kerouac, traz diversas fotografias conhecidas do autor transformadas em desenhos, além de referências às suas obras, em especial On the Road e Big Sur. Apesar disso, acredito que a obra, cria uma interpretação de Kerouac da qual não compartilho.

Onde encontrar? No site da Saraiva ou na Comix.com.br, por R$25,00.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

HQ – The Zen of Steve Jobs

Cultura, HQs
Em 22 de fevereiro de 2012
Durante o cafezinho do(a)

The Zen of Steve Jobs, é uma HQ lançada em 2011, centrada na amizade de longa data entre o monge budista Kobun Chino Otogawa e Steve Jobs e na forma como alguns dos ensinamentos budistas influenciaram a vida de Jobs e também a Apple. A história é contada fora da ordem cronológica dos eventos (mas delimitando espaços temporais de forma clara e sem interromper a continuidade), e leva em consideração relatos conhecidos desta amizade.

Produzida pela Forbes, ilustrada por Jess3, e escrita por Caleb Melby, tem como destaque a qualidade visual focada no desenvolvimento dos personagens através de linhas e da bela estética de cores. No site da agência criativa Jess3 você poderá ver um pouco mais sobre o processo de criação que complementa o making of de algumas páginas que vem no final da revista.

Uma HQ com uma história, até certo ponto inusitada, cujo resultado final é ótimo. Para quem gosta de Steve Jobs, vale os U$12 (impressa em “paperback” de alta qualidade, ou U$9 em e-book).

Onde comprar? Na Amazon. (Procurei nos sites das principais lojas virtuais nacionais e não encontrei.) No Brasil, a Devir está lançando a versão em Português, no dia 29/06/12, com o título “O Zen de Steve Jobs“.

Atualizado em: 28 de junho de 2012.

Envie seu Comentário  Leia os Comentários 

HQ – Yuri, Quarta-feira de Cinzas

Cultura, HQs
Em 21 de dezembro de 2011
Durante o cafezinho do(a)

“Ontem, domingo de carnaval, eu fui enterrado.
Hoje estou de volta na cidade maravilhosa.
Durante o maldito carnaval.
Pra quê?
Se eu não sei sambar, nunca tive um temperamento tropical…
Você diria que eu ganhei um milagre.
A chance de consertar meus erros.
Mas eu não mudei. porque sou o mesmo de antes.
Burro, feio e chato.
Sem missão divina.
Sem dinheiro e atrasado pro trabalho.
E a única coisa em comum entre eu e a cidade maravilhosa,
é que nós dois estamos apodrecendo.”

Yuri.

Imagine que você é um publicitário, tem um bom emprego, uma bela namorada, é o orgulho da família, mas ta de saco cheio de tudo isso e em pleno carnaval resolve se atirar da sacada do seu apartamento e dar fim a sua vida. Seu plano era perfeito, porém, você não contava que voltaria dos mortos na segunda-feira, como um zumbi.


Essa é basicamente a história de Yuri, contada na HQ Yuri, Quarta-Feira de Cinzas, de Daniel Og, lançada pela Editora Conrad.
Eu achei a hq simplesmente sensacional, a começar pela capa linda, os desenhos do Daniel são simples e muito bem feitos, a história é hilária.

Yuri depois de voltar ao mundo dos vivos, ou quase vivos, encontra Andrei, um ladrão de carros homossexual, que tem como maior sonho ser rei momo do carnaval carioca, ele resolve então ajudar Yuri a morrer novamente, em troca de uma grana, as situações que os dois se metem são muito engraçadas, é diversão garantida.

Eles saem pelo Rio de Janeiro em meio a todo aquele clima carnavalesco, com blocos pro todo lado, lembre-se, um deles é um zumbi, com todas as características, cheiro, aparência, etc.

Vale a pena conhecer esses dois caras, e todos os outros personagens criados pelo Daniel Og, a mãe e o pai do Yuri, o padre, que é o mais sem noção que já vi, as situações que eles enfrentam são demais, tem muito humor negro e situações politicamente incorretas.

Yuri, Quarta-feira de Cinzas é uma ótima dica de presente de natal.



Envie seu Comentário  Leia os Comentários